Sintomas e Diagnóstico

Sintomas

Diagnóstico

Diagnóstico

O seu médico de família provavelmente irá fazer um historial médico detalhado e palpação do seu pescoço, antes de o referenciar para um médico especialista.  

O médico fará um historial familiar detalhado, bem como exames físicos. Estão disponíveis ainda testes adicionais que ajudam ao diagnóstico de carcinoma da tiróide e que podem ser feitos em diferentes alturas e ser pedidos por médicos de diferentes especialidades. O seu médico de família provavelmente irá fazer um historial médico detalhado e palpação do seu pescoço, antes de o referenciar para um médico especialista.  

Palpação (inspeção manual do pescoço)

A palpação é um acto médico que permite ao médico sentir o seu pescoço, de modo a perceber se há um aumento do volume da tiróide ou se existem nódulos na tiróide. 

Análises ao sangue

As análises ao sangue são feitas num laboratório e permitem avaliar se a tiróide está a funcionar de forma normal, bem como se os níveis das hormonas tiroideias estão normais, aumentados ou inferiores ao usual. 

Ecografia 

Uma ecografia ao pescoço utiliza ondas sonoras para construir uma imagem do tecido da tiróide e permite detetar alterações e nódulos, se presentes. Por vezes, observa-se o fluxo sanguíneo da tiróide ao mesmo tempo.

Biópsia

A única forma de ter certezas quanto ao diagnóstico do carcinoma da tiróide é fazer uma colheita de uma amostra de tecido (chamada de biópsia) e analisá-la ao microscópio. 

 

Biópsia aspirativa por agulha fina

Este procedimento é realizado geralmente num consultório médico ou clínica. Pode ser injetada anestesia local na pele, para adormecer a área, sendo depois inserida uma agulha fina no nódulo, permitindo a extração de células e algum fluído. Este processo poderá ser repetido duas ou três vezes para se obter amostras de diferentes áreas do nódulo. O resultado dos testes pode ser positivo (o que significa que existem células cancerígenas), negativo (não existem células cancerígenas) ou indeterminado (não é claro se existem ou não células cancerígenas). Apesar de nódulos na tiróide serem muito comuns, menos de 1 em cada 10 contêm carcinoma da tiróide. 

 

Diagnóstico molecular para resultados pouco claros

Apesar de ainda não estarem amplamente disponíveis, estão a ser desenvolvidos novos testes que examinam os genes do ADN presente nos nódulos da tiróide. Estes testes podem providenciar informação útil sobre se o carcinoma está presente ou ausente. Estes testes são particularmente úteis quando a amostra avaliada pelo patologista tem um resultado indeterminado (não claro). Estes testes especializados são feitos a partir de amostras recolhidas através de um processo normal de biópsia. Existem ainda testes sanguíneos especializados que podem ajudar na avaliação dos nódulos da tiróide. Estes últimos estão atualmente apenas disponíveis em centros médicos altamente especializados; no entanto, têm vindo a estar cada vez mais acessíveis. Pergunte ao seu médico se estes testes estão disponíveis e se poderão ser úteis no seu caso em concreto. 

É recomendado que todos os doentes diagnosticados com CMT façam testes genéticos, para ajudar a identificar quais as opções terapêuticas mais apropriadas para o sub-tipo de CMT, bem como para determinar se o carcinoma é transmissível de pais para filhos. Se o carcinoma for identificado como hereditário, os membros do núcleo familiar deverão também ser testados, uma vez que quem tem estas alterações genéticas irá eventualmente desenvolver este tipo de carcinoma medular da tiróide. 

Os testes genéticos envolvem a colheita e o envio de uma amostra de sangue para um laboratório de referência. Os resultados podem demorar várias semanas ou meses. 

 

Biópsia cirúrgica

Se os resultados da biópsia aspirativa por agulha fina forem inconclusivos, o médico poderá sugerir uma biópsia em que é removido o nódulo e algum do tecido circundante à tiróide. Este procedimento realiza-se geralmente sob anestesia geral, pelo que poderá ser necessário um período curto de internamento.  

Exame de corpo inteiro – realizado ocasionalmente

Se forem detetados nódulos na tiróide, um exame de corpo inteiro (cintigrafia) pode ser realizado, visto que fornece uma imagem mais detalhada do tecido da tiróide. Este exame imagiológico envolve a administração, por injeção ou cápsula, de uma substância radioativa que é depois absorvida pela tiróide. Desta forma, o tecido da tiróide emite raios gama que são posteriormente detetados por uma câmara gama e convertidos numa imagem. 

 Este procedimento era realizado com frequência no passado, mas a ecografia ao pescoço e a biópsia têm demonstrado ter uma precisão e sensibilidade tão elevadas que a cintigrafia deixou de ser das primeiras técnicas de avaliação a utilizar. Contudo, a cintigrafia ainda tem um papel importante na avaliação de nódulos raros que causam hipertiroidismo.

 



1. Schlumberger M and Pacini F. Thyroid Tumors 2nd Edition. Editions Nucleon, Paris. 1999.